Médico interrompe aula e corre até uma jovem – ela fica em lágrimas quando vê de quem se trata

Esta é a história de Ashli Taylor, uma menina que nasceu com cirrose hepática congénita, uma condição que afetava o funcionamento do seu fígado.

O caso era tão grave que a menina teve de ser alimentada através de um tubo pelo nariz, pelo que os seus primeiros dias de vida foram passados no hospital, cheia de fios, a fazer exames.

A vida de Ashli dependia de um transplante, então Crystal Pope-Taylor, a mãe de Ashli, decidiu doar uma parte do seu fígado.

O transplante foi realizado com sucesso pelo cirurgião Robert Goldstein, de Dallas, e a partir daí a pequena pôde começar a viver plena, saudável e feliz.

Passados 15 anos, Ashli decidiu contar a sua história aos colegas numa aula de escrita criativa, em dezembro de 2015, escrevendo uma longa carta a Robert, o homem que lhe salvou a vida.

Apesar de todo o tempo passado, a jovem nunca esqueceu o cirurgião, mas nunca tinha tido a oportunidade de lhe agradecer. Após escrever a carta, Ashli continuou com a sua vida, mas certo dia, alguém bateu à porta da sua sala de aula…

Um homem entrou e dirigiu-se a Ashli, que inicialmente não percebeu nada. Então, ao ouvir o nome “Robert”, tudo fez sentido!

Diante dela, com roupas de cirurgião e um ramo de flores, encontrava-se o homem que lhe tinha salvo a vida.

“Ela mudou-me tanto que eu queria dar-lhe algo em troca. Eu queria fazê-la entender que as palavras dela me tocaram”, disse Robert.

Os dois ficaram muito emocionados durante o reencontro, e quando se abraçaram deixaram cair as lágrimas.

“Os médicos não recebem muitos agradecimentos. Eles precisam de saber que as pessoas apreciam o seu trabalho” disse Ashli.

Veja o vídeo da reunião abaixo e PARTILHE!