Mulher com 20 personalidades muda de identidade 5 vezes por dia

Esta é a história de Kim Noble, uma mulher residente em Londres, que sofre de um transtorno dissociativo de identidade (TDI), também conhecido como personalidade múltipla.

Segundo os psicólogos, este transtorno resulta de experiências traumáticas na infância, que fazem com que a pessoa que não está a conseguir lidar com uma situação divida a sua personalidade em várias outras.

Dentro de Kim, residem 20 pessoas diferentes, que podem alternar sem qualquer tipo de aviso prévio. Após mudar de personalidade, muitas vezes Kim não se lembra como chegou a um certo sítio ou quem é a pessoa que está a falar com ela.

A primeira vez que reparou que algo estranho se passada foi durante a adolescência, quando um namorado a acusou de o trair ao vê-la pela cidade com outros namorados. Ela encontrava-se com alguém na rua, que agia como se fossem namorados há anos, e não fazia ideia de quem era a pessoa. A partir daí, começou a fazer terapia.

Judy, uma menina anorética de 15 anos, Patricia, uma mulher de meia idade, Ria, uma criança que sofreu de abusos, Ken, um homem de 22 anos homossexual e Dawn, uma mulher preocupada com a pequena filha que lhe foi retirada, são apenas algumas das diferentes personalidades de Kim.

A filha de quem Dawn fala existe mesmo, chama-se Aimee e já é crescida. Kim teve de lutar muito para recuperar a custódia da filha, mas a personalidade de Dawn ainda vive como se não tivesse a filha, pois não reconhece Aimee como a filha perdida.

Kim já ouviu sobre as suas várias personalidades e construiu uma imagem de cada uma, mas não as conheceu realmente. Atualmente, Patricia é a personalidade que está mais presenta nela.

Assim, o dia-a-dia de Kim é confuso, pois nunca se lembra, por exemplo, de ter tomado banho. Contudo, está sempre limpa, e isso quer dizer que outra das suas personalidades o fez por ela.

Frequentemente, volta do supermercado sem nada, ou com demasiadas compras, e por exemplo, quando Judy surge, Kim não se alimenta bem. Kim muda de personalidade cerca de 5 vezes por dia.

Algo que Kim e as suas personalidades partilham, para além do mesmo corpo, é o talento para a pintura.

Há cerca de 12 anos, Kim foi incentivada a pintar pelo seu terapeuta, para exprimir as suas emoções no papel.

Todas as personalidades de Kim pintam, cada uma no seu próprio estilo, e Kim consegue reconhecer quem fez cada pintura.

As suas obras têm tanta qualidade que já foram expostos na Zebra One Art Gallery, em Londres, juntamente com obras de famosos artistas como Salvador Dalí e Francis Bacon.

“Quando fui diagnosticada, foi muito assustador. Deve haver algum trauma, mas eu não me lembro de nada”, conta Kim, relativamente à altura em que foi diagnosticada, há muito tempo.

Das suas personalidades, apenas três aceitaram o diagnóstico, e as restantes não acreditam no mesmo. Então, Kim escreve mensagens para cada uma e deixa-as espalhadas pela casa.

Aimee, a filha de Kim, já está habituada à doença da mãe e aprendeu a lidar com todas as suas personalidades. Apesar das dificuldades e de todos os problemas do transtorno da mãe, Aimee dá-lhe todo o apoio, mesmo quando a própria Kim fica frustrada e cansada da própria situação.

Veja a entrevista e PARTILHE!