Os vizinhos dela estavam fartos de vê-la a limpar a casa nua. Mas quando ela morreu, aos 101 anos, a casa dela era algo inimaginável.

Esta é a história de Frances Gabe, uma idosa residente em Newberg, nos EUA, que faleceu com 101 anos em dezembro de 2016.

Os vizinhos de Frances sempre a acharam um pouco estranha, pois a mulher não limpava a casa há mais de 20 anos nem tinha quem a ajudasse, mas esta estava sempre limpa.

Mas tudo tinha uma explicação: a casa de Frances era diferente, pois limpava-se automaticamente, por invenção da própria.

Nos anos 80, Frances, mãe de dois filhos, fartou-se da quantidade absurda de tarefas domésticas que tinha para fazer a toda a hora.

Quando viu uma mancha de compota de figo a escorrer pela parede da cozinha, Frances ficou extremamente impaciente e decidiu limpar tudo com uma mangueira de jardim.

A partir daí, a mulher desenvolveu um modelo da casa que queria, e em 1984 tinha conseguido tornar a sua na primeira casa de limpeza automática a nível mundial.

Frances patentou 68 invenções, que lhe permitiram ter uma casa que se lavava e secava sozinha, como uma autêntica máquina de lavar gigante.

A mulher agarrava num guarda-chuva e numa capa e carregava num botão que lavava as paredes, chão, roupa, loiça, a casota do cão, etc.

Como? O chão e paredes da casa eram de azulejo e tinham sido instalados ralos nos cantos das divisões, para que a água que vinha do teto através de um sistema de irrigação tivesse como ser escoada.

Primeiro, o sistema de irrigação cobria a casa com água e sabão, posteriormente fazia o enxaguamento, e no final era emitido um vento quente que secava tudo.

No espaço de uma hora, tudo ficava limpo, seco e quente! Naturalmente, Frances protegia os objetos e algumas superfícies com plástico antes das limpezas.

A sua casa não tinha tapetes nem cortinados, pois estes acumulavam muito pó.

Tudo isto tornou a casa de Frances uma verdadeira sensação nos anos 80, tendo aparecido até em programas de televisão e recebido turistas.

A intenção do seu projeto era facilitar o processo de limpeza para pessoas deficientes, idosos, mães e mulheres que preferiam estar com as suas famílias do que perder maior parte do tempo a lavar a casa.

“Quero eliminar a movimentação desnecessária para que deficientes e pessoas de idade possam cuidar das suas casas sozinhos”, contou Frances.

Embora o seu objetivo fosse ajudar, os vizinhos de Frances achavam-na bastante excêntrica e complicada. Afinal, quando era jovem, tinha o hábito de limpar a casa nua…

Infelizmente, um terramoto no ano de 2001 danificou a vertente tecnológica da casa, e só o sistema de irrigação continuou a trabalhar.

No ano de 2008, a família de Frances colocou-a num lar de idosos, onde esta permaneceu até aos 101 anos.

Veja o processo de limpeza da casa fascinante no vídeo abaixo e PARTILHE!